Os MITOS sobre métodos contraceptivos

IMG_20180505_094753_168.jpg

Hoje existem muitas formas de evitar uma gravidez não planejada, mas as opções de anticoncepcionais são tantas – e algumas pouco divulgadas – que ainda existem muitas dúvidas em torno dos métodos contraceptivos.

Já ouviu falar que a pílula anticoncepcional causa infertilidade na mulher? Ou que o preservativo feminino é menos seguro que o masculino? São mitos sobre #anticoncepcionais que acabam impedindo que tenhamos informações adequadas e uma vida sexual segura.

As mulheres adolescentes são as que mais têm chances de engravidar nas primeiras relações, seja pela falta de familiaridade com as formas de #contracepção, seja pela falta de acesso a métodos contraceptivos, por medo que descubram que elas têm vida sexual ativa, entre outros inúmeros motivos.

Por isso, é direito de toda mulher ter acesso a informações, serviços, insumos e outras condições que lhe permita decidir de forma livre e informada quando engravidar. Também é seu direito poder escolher o melhor método contraceptivo para ela de forma saudável, consciente e sem achismos.

Os mitos sobre métodos contraceptivos e como evitar uma gravidez

Hoje existem muitas formas de evitar uma gravidez não planejada, mas as opções de anticoncepcionais são tantas – e algumas pouco divulgadas – que ainda existem muitas dúvidas em torno dos métodos contraceptivos. Já ouviu falar que a pílula anticoncepcional causa infertilidade na mulher? Ou que o preservativo feminino é menos seguro que o masculino? São mitos sobre anticoncepcionais que acabam impedindo que tenhamos informações adequadas e uma vida sexual segura.

As mulheres adolescentes são as que mais têm chances de engravidar nas primeiras relações, seja pela falta de familiaridade com as formas de contracepção, seja pela falta de acesso a métodos contraceptivos, por medo que descubram que elas têm vida sexual ativa, entre outros inúmeros motivos.

Por isso, é direito de toda mulher ter acesso a informações, serviços, insumos e outras condições que lhe permita decidir de forma livre e informada quando engravidar. Também é seu direito poder escolher o melhor método contraceptivo para ela de forma saudável, consciente e sem achismos.

Quais são os anticoncepcionais mais usados?

Hoje as formas de contraceptivos disponíveis no mercado podem ser divididas como:

  • Métodos de barreira (que criam um bloqueio físico ou químico entre esperma e útero): Preservativo masculino e feminino, diafragma, esponja contraceptiva, espermicida
  • Métodos hormonais (que influenciam o ciclo menstrual com hormônios femininos): Pílula anticoncepcional, minipílula, injeção anticoncepcional, anel vaginal, adesivo anticoncepcional, implante anticoncepcional,  pílula do dia seguinte
  • Anticoncepcionais intrauterinos (aplicados dentro do útero): DIU de cobre e hormonal
  • Métodos permanentes (cirurgias de esterilização): Ligadura das trompas ou vasectomia masculina

O que toda mulher precisa saber é que o método contraceptivo ideal é aquele que se adequa ao seu corpo e estilo de vida. Por exemplo, se você pratica atividades frequentes na praia ou na piscina, talvez o adesivo anticoncepcional não seja a melhor opção para você. Ou se você sente dores de cabeça, remédios com alta dosagem de hormônios podem, em alguns casos, gerar incômodo.

Mitos e verdades sobre os anticoncepcionais

Às vezes escutamos muitas histórias sobre métodos contraceptivos que só causam confusão na hora de decidir como evitar uma gravidez. Que tal acabar com essas dúvidas? Reunimos as principais delas, mas também recomendamos que você vá a um ou uma ginecologista para que possa entender o que é melhor para o seu corpo, ok?

Fonte:  Ela Decide

Fonte: Ela Decide

Você tem o direito de escolher o seu método contraceptivo

Nem sempre é possível encontrar um método contraceptivo que seja ao mesmo tempo fácil de usar, altamente eficaz e com poucos efeitos colaterais. Mas descobrir o método contraceptivo mais indicado a você é importante não só para evitar a gravidez, mas também para que você se sinta à vontade para ter uma vida sexual livre e segura. Por isso, a visita a um ou uma ginecologista é fundamental e está disponível mesmo no Sistema Único de Saúde (SUS). Verifique qual a unidade do SUS mais perto do seu local de moradia que tenha esse atendimento.

Antes de decidir o seu método contraceptivo, vale refletir sobre algumas perguntas como:

  • Eu tenho uma vida sexual ativa?
  • Quero engravidar em breve?
  • Tenho disciplina para me medicar todo dia?
  • O custo do contraceptivo pode ser um problema para mim?
  • Consigo buscar o meu método contraceptivo no SUS?

Para fazer a melhor escolha, o ideal é conversar com profissionais de saúde que possam te apresentar todos os benefícios, riscos e contraindicações de cada método.

Você não está sozinha! Converse, pergunte e decida.

Fonte: Ela Decide

 

VEJA MAIS

Siga no INSTAGRAM: @dr_albertofreitas

Curta no FACEBOOKfb.com/afreitasgineco

CONSULTÓRIO Dr. Alberto Freitas: gineco.rio.br

 

BUSCAR em Gineco.info

NAS REDES SOCIAIS - COMPARTILHE!